Post convidado escrito pelo Nivaldo

Não é de hoje que existem pessoas que se interessam por um jogo muito mais do que sua jogabilidade, gráficos ou música. Elas procuram uma boa história para acompanhar, mas todo o conjunto da obra é que faz um grande clássico ou um grande sucesso de vendas. Não há um jogo que não tenha uma história que não seja focada para satisfazer fãs de boas narrativas ou pelo menos ressaltar os porquês de tal ambiente, com suas políticas e guerras.

Com uma boa trama, um jogo segue em frente, mas com uma excelente ambientação um jogo se torna lenda! Foi assim que fez Warcraft chegar até Warcraft III Frozen Throne e então com um salto ousado a Blizzard criou o até então novato na área World of Warcraft que hoje em dia dita tendências sendo referencia em quesito jogabilidade e claro história!

Alguns até pensam: “Lá fora fazem de tudo para eternizar uma marca, ou popularizar ela ainda mais e sem esquecer-se de fazê-la render ainda mais para seus criadores.” E assim criam desde chaveiros até aviões (Podemos citar a própria Blizzard com o seu Boeing SC2 ou o no Japão com o avião do Pokémon). Mas vou voltar ao foco que é histórias em quadrinhos ou mangás e claro os livros:
No nosso país não temos uma grande chance de ver obras baseadas em nossos jogos ou até filmes preferidos sendo trazidos para o mundo da leitura tão facilmente quanto os moradores dos países de origem, mas há quem tente trazer para cá, assim falo como exemplo dos animes e mangás famosos como Naruto, One Piece e Bleach, graças ao público desses scans ou ávidos telespectadores que as empresas nacionais acreditaram que tais produtos dêem lucro em nossas terras tão bem tachadas!
E se aqui no meio do cerrado – Uberlândia, MG – onde eu moro tem compradores das HQs/mangás já citados imaginem nos grandes centros como Rio de Janeiro ou São Paulo!?

Mas como conseguir as obras? Quais são as pessoas ou editoras que nos trazem tudo relacionado aos produtos da Blizzard em nosso país?

Vou começar pelo site de Scans, pois foi nele que eu tive o meu segundo contato com as publicações escritas sobre WOW:

The Centurions é um blog com uma boa equipe de tradutores e diagramadores que tenta nos trazer edições raras ou até coisas que não são publicadas no nosso país, mas que é sucesso lá fora. Um bom exemplo é as HQs do WOW, onde conta a saga de Logosh até sua volta para as terras humanas de Stormwind, atualmente esta na sua edição de número 22 e a saga completa da Ashbringer, seguindo a tendência da The Centurions a Panini Editora, publicou algumas edições em nossa língua! (Eu preciso comprar, pois só assim as editoras animam em trazer mais coisas para cá como livros e afins).

Na parte de mangás temos a Conrad editora publicando atualmente World of Warcraft Lendas e Starcraft Linha de frente , francamente estou adorando ambas as edições e a Conrad foi a primeira no ramo ao trazer os mangás da mini-série Fonte do Sol (Sunwell).
Mas agora temos um quarto grupo no ramo a editora NewPop com o slogam uma alternativa a todos! E realmente é o que estão fazendo ao colocar no mercado muitas edições diferentes de grandes obras como, por exemplo, CSI! Na parte de produtos sobre WOW temos o mangá World of Warcraft: Death Knigth, onde a saga de Thassarian, que é um velho conhecido da Aliança é contada, sinceramente um achado raro da minha parte!
A meu ver todas as obras vão bem além do efeito caça-níqueis, pois enriquecem todos os cenários (tanto de Warcraft quanto Starcraft) e nos deixam com mais vontade de jogar ou mesmo ler, pois muitos escritores e desenhistas têm aquele dom ao lhe prender em cada quadro.
Para os jogadores de RPG de mesa saíram algumas edições em nosso idioma dos livros de RPG para o D20system . Não posso dizer muito sobre a tradução da adaptação oficial para RPG, porém como é um produto da Devir eu acredito que a equipe é de grande qualidade, pois eles nos trazem o Dungeons&Dragons há muitos anos e já estamos com o mesmo na quarta edição.

Em outro post por aqui ou no Paladino do Cerrado você pode acompanhar uma critica sobre as próximas HQ/mangá que eu colocar em mãos.