[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 1

06/07/13, por

A manhã estava morna, cinzenta e úmida – nada de novo, uma vez que os últimos dias haviam sido também assim. Acordava sempre cedo, antes de qualquer luz ter brilhado no céu, e passava uns bons minutos espreguiçando-se diante da janela, observando o lago de águas calmas, sentindo o frescor da brisa que adentrava o quarto. Observava também a fumaça que começava a sair da chaminé da padaria e os vendedores de frutas, que já àquela hora empurravam seus carrinhos cheios de maçãs maduras e pêssegos doces como o mel. Era uma vila pacata, povoada por cidadãos modestos que seguiam suas vidas de maneira simples e sem extravagâncias. Quando saía da estalagem sob o raiar do dia, cumprimentava todos pelo nome e fazia seu caminho até a beira do Lago Plácido, onde sentava-se na grama e empenhava-se em sua tarefa diária. Munido de iscas e uma vara de pescar, gastava...

[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 2

20/07/13, por

Boa leitura! Enquanto ajudava Liam a combater os worgens, como aprendera a chamar as aberrações que fundiam homem e lobo, Dareon procurava suprimentos que pudessem ser resgatados e os amontoava em um canto sempre que conseguia. Quando achou que a área estava relativamente mais livre de ameaças, coletou tudo e levou os alimentos até a senhorita que havia lhe pedido ajuda. – Que bom que ainda está aqui – disse a ela, ajudando-a a encaixotar tudo. – Não conseguia mais avistá-la. – Fiquei escondida ali atrás – respondeu a moça, indicando a carroça com o queixo. Estendeu a mão para cumprimentá-lo, quase deixando sua enorme espada cair. – Sou Gwen Armstead, a propósito. Muito, muito obrigada por me ajudar! Tomarei providências para que tudo seja levado para um lugar seguro. – Certo, tome providências – apertou-lhe a mão gentilmente. – Sou Dareon. E acho melhor tomar cuidado com essa espada… – Oh,...

[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 3

03/08/13, por

Boa leitura! Dareon escavou suas memórias de garoto para lembrar-se do local exato onde ficava a Prisão Guardapétrea. Demorou-se olhando para todos os cantos do Distrito Militar, procurando por alguma rua conhecida, um beco cuja entrada soubesse onde ia acabar… … e desistiu, cansado, aceitando o fato de que nada mais permanecia igual. Tudo estava tão sujo e destruído que não encontrava quase nenhum vestígio dos lugares conhecidos, e começou a pensar que seria quase impossível reconhecer o que quer que fosse em meio à enorme ruína em que Guilnéas havia se transformado. Lorde Godfrey o olhava de soslaio, e Dareon tinha certeza de que estava aguardando que fizesse alguma besteira para repreendê-lo. Como realmente já havia demorado tempo demais pensando no que fazer, virou-se de uma vez, acenou rapidamente para Loren e correu em direção a uma rua qualquer. Ouviu o combate antes de vê-lo. Assim que virou a...

[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 4

17/08/13, por

Boa leitura! Com o resto da disposição que lhe restava, Dareon correu em direção às escadas, sem conseguir deixar de sentir-se culpado por largar o grupo de Lorde Darius no terraço. No último relance que lançou para trás, viu um novo bando de worgens se aproximando ferozmente. – Vá! – ouviu Crowley berrar, sua voz agora já distante e quase silenciada pelos rosnados das criaturas. Desceu as escadas pulando dois degraus de cada vez e passou por Broderick com pressa, ignorando seus protestos. Dareon observou as ruas em seu caminho de volta à praça do Distrito Militar e sentiu o desespero abater-lhe cada vez mais profundamente. Era como se todos os seus esforços até o momento tivessem sido em vão. A cidade continuava apinhada de worgens, agora talvez até mais do que estivera antes, e os soldados de Guilnéas pareciam não dar conta de segurá-los. – Se eu não estivesse...



[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 5

31/08/13, por

Boa leitura! Quando Dareon o avistou, o Rei estava montado em seu cavalo no meio da rua, olhando na direção oposta para algum ponto não identificado mais à frente. Não notou sua chegada até que pigarreasse para chamar-lhe a atenção. – Hum, Vossa Alteza? Genn Greymane virou-se imediatamente e deu-lhe um tapinha amigável nas costas. – Ei, rapaz, é você! Que bom que apareceu, preciso lhe pedir uma coisa… – retirou a mão e esticou o dedo na direção de seu ombro ferido. – Minha nossa, o que foi que aconteceu aí? – Um arranhão – disse Dareon, controlando-se para não revirar os olhos. Deixem meu ombro em paz. – Não é nada. Senhor, o armamento de Lorde Crowley é todo seu. – Oh, que ótimo, rapaz, realmente ótimo – o Rei não tirava os olhos do pano ensanguentado que cobria seu ombro. – Eu sabia que o Crowley cumpriria...

[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 6

14/09/13, por

Boa leitura! Dareon prendeu a respiração por um momento, sem reação diante da cena que presenciava. Um dos guardas lançou-lhe um rápido relance e voltou-se novamente para os worgens. – O que está fazendo parado aí? – gritou de costas. Dareon não respondeu, então o soldado virou-se mais uma vez em sua direção. – Você aí! Vá embora, rápido! Antes que isso acabe com você também… O som de tecido sendo rasgado foi seguido do tinido da espada atingindo o chão de pedra. Em um instante, o guarda que falava estava bamboleando, com o braço coberto de sangue e a arma aos seus pés. Um dos worgens empurrou-o para o lado com violência e correu na direção de Dareon, estendendo as garras na altura de seu peito e rosnando ameaçadoramente. Dareon afastou-se para trás e tirou seu machado da cintura. Abateu o worgen com um único golpe e, depois de...

[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 7

28/09/13, por

Boa leitura! Abriu os olhos com dificuldade, tentando adaptar-se à luz acinzentada que perfurava suas retinas. Precisou piscar com força algumas vezes antes de conseguir focar a visão e percebeu que enxergava o mundo por uma brecha retangular, entrecortada por barras de ferro. Atirou-se violentamente contra as grades da jaula e mostrou os dentes para o homem que o observava do lado de fora. Não podia ficar em pé, tampouco deitado – precisava encolher-se em um canto para ganhar algum espaço, mas antes preferiu chacoalhar-se de um lado para o outro, tentando inutilmente derrubar as paredes de sua minúscula prisão. Após alguns minutos, largou-se no chão, apertado e dolorido, e sentiu o torpor começar a abatê-lo novamente. Em seu ímpeto de frustração, machucara quase o corpo inteiro, e as ataduras que lhe envolviam os braços estavam empapadas de sangue. Rosnou mais uma vez para o cidadão que o analisava, parado...

[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 8

12/10/13, por

Boa leitura! Acordou em mais uma manhã fria, encarando aquele mesmo céu cinzento e cansativo que nunca mudava. Havia perdido a noção do tempo e mal podia imaginar quantos dias passara dormindo, mas suas recordações lúcidas eram tão escassas que não podia ter certeza se estivera realmente acordado alguma vez desde que fora capturado. Piscou quando as gotas de chuva atingiram seus olhos e ergueu parte do colete que vestia para secar o rosto. Ficou imóvel durante um segundo, acostumando-se à ideia de estar livre novamente. Esticou os braços com força e, como se fosse uma pancada, sentiu a dor nos ombros atingir-lhe de uma só vez. Precisou curvar-se, tentando adaptar-se forçadamente ao tamanho de seu corpo. Estivera deitado no chão, perto do local onde antes ficava sua jaula. Ergueu-se lentamente e esfregou a cabeça, sentindo fios secos e emaranhados enroscando-se em seus dedos. Moveu-se desajeitadamente até que finalmente conseguiu...

[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 9

26/10/13, por

Boa leitura! Dareon sentiu a presença antes de enxergá-la. Virou-se violentamente para trás, seguindo com o faro o cheiro invasor que tomara conta do ar, sobrepondo-se ao perfume da chuva, do mar e da terra molhada. Ouviu um barulho anormal soar de trás da cabana, seguido pelo farfalhar de folhas. Escutou ainda o som de plantas sendo amassadas por passos, e, conforme o ruído se aproximava, sentia também o odor se fortificando. Era cheiro de morte. Rosnou demoradamente, mostrando os dentes de forma ameaçadora para a criatura que corria em sua direção, trazendo na mão uma faca idêntica à que encontrava-se fincada nas costelas do vigia, caído logo ao lado. O morto-vivo resmungou algo antes de brandir a lâmina em sua direção, mas Dareon não prestou atenção. Precisava manter a concentração na luta iminente, procurando um ponto fraco no inimigo, qualquer coisa que pudesse fazer com que ficasse em desvantagem....

[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 10

11/11/13, por

Boa leitura! Lorde Vincent Godfrey suspirou longamente e apoiou o corpo na pilha de malas ao lado. – Não vou mentir, Dareon – disse. – Não gosto nada da ideia de ter worgens entre as nossas fileiras… Ainda não superei minha worgenfobia, estou odiando tudo isto. Sabe-se lá quanto tempo essa poção do Krennan vai durar e quando você vai começar a querer arrancar a cabeça de alguém… Dareon rosnou baixinho. Uma mulher, que estivera todo o tempo ao lado de Godfrey, tocou-lhe o braço e chacoalhou a cabeça em desaprovação. – Vincent, por favor, não acho que esse seja o momento apropriado para… – Se acalmem, vocês dois – Godfrey revirou os olhos. – É o seguinte, Dareon: vamos usar e abusar dessa sua… eh, ferocidade… até quando for possível. Há soldados espalhados pelo campo de batalha, lutando contra os Renegados. Nós precisamos que você vá até lá e os...

[Roleplay] Entre Homens e Lobos – parte 11

23/11/13, por

Boa leitura! Cautelosamente, Dareon içou-se para cima até atingir o braço da catapulta, certificando-se de que alcançaria o gatilho depois de posicionado. Encarou mais uma vez a enorme figura do navio de guerra dos Renegados que, em toda sua imponência, fazia sombra sobre a batalha que ocorria na costa. Redirecionou a mira para o lugar certo – ou pelo menos para o lugar que pensou ser o certo – e não quis tomar tempo para encontrar coragem. Fechou os olhos e soltou o disparador, sentindo o impulso da catapulta atirando-o para a frente. Pousou em pé com um estrondo, admirado por não ter sido jogado direto na água. Ouviu passos rápidos caminhando em sua direção e rapidamente agachou-se atrás de uma escada. Pelos vãos abertos entre os degraus, enxergou a figura de um vigia Renegado no andar superior, examinando o cais do navio com os olhos à procura da fonte...