O Diário de Kinndy – Parte 1

Olá pessoal! Há algum tempo li o livro Marés de Guerra e me apaixonei perdidamente por uma personagem: Kinndy Centelume. Para quem não a conhece, vou escrever sobre ela em primeira pessoa, narrando um pouco do que poderia ter sido a vida dela. Serão vários capítulos mostrando como ela conheceu a maga Jaina Proudmoore e se tornou aprendiz da mesma. Espero que gostem. Capítulo 1 Não sei se vocês sabem, mas nós não nascemos guerreiros, paladinos, caçadores ou sacerdotes. Nós nascemos apenas com a nossa raça definida, o que seria um pouco difícil de escolher caso não gostássemos do que somos. Pois bem, nasci como uma gnomida, nada muito fora do normal. Pequenina, com olho azuis bem expressivos e com cabelos rosa. Minha cidade natal é Dalaran, pois meu pai trabalha aqui e mamãe faz uns doces maravilhosos! Vocês deveriam experimentar! Papai desde que me entendo por gnomida acende todas...

O Diário da Kinndy – Parte 2

Acordei com algo iluminando a janela do meu quarto. Abri os olhos esfregando-os um pouco e relutei em sair da minha cama. Logo em seguida tudo ficou escuro. – Que estranho… Outro clarão e novamente a escuridão. Decidi levantar e ver o que era, afinal, não é todo dia que vemos o sol brincar de pique esconde. – Olá meu docinho! Porque levantou tão cedo? Mamãe estava na cozinha preparando a massa dos bolinhos que seriam vendidos mais tarde, a cozinha estava iluminada por seis pequenas Moscaluzes de Negraluna, capturadas por papai e mamãe nos bons tempos da juventude, como eles gostavam de dizer. Que indelicadeza a minha começar nosso papo falando sobre meu quarto e tudo mais e nem apresentar minha casa, não?! Pois deixe-me fazer isto agora! Me acompanha? Meu quarto fica no segundo andar da nossa casa, logo ao lado do meu está o quarto de mamãe...

O Diário da Kinndy – Parte 3

Boa leitura e espero os comentários com as opiniões de vocês, viu?! Acordei novamente com aquele clarão refletindo na minha janela. Esfreguei os olhos e pensei em sair para investigar, mas o que mamãe havia dito no dia anterior estava martelando minha mente, eu realmente precisava decidir minha classe. Levantei, só por curiosidade olhei pela janela (vai que o clarão misterioso revela sua identidade?!) e mudei de roupa para começar a pesquisar sobre as classes disponíveis para mim. – Bom dia meu pedacinho de brownie! Santa Eluna, que vergonha… Mamãe tinha esse costume de me apelidar com nomes de doces. Incontáveis foram as vezes que meus amigos riram de mim quando ela me chamava na porta de casa: – Tortinha de morango, venha para casa! – Pavêzinho de chocolate, hora do banho! – Rosquinha de coco, o almoço está pronto! – Pudinzinho, hora de dormir! Depois de uma longa conversa...

O Diário da Kinndy – Parte 4

Tenha uma boa leitura e espero que gostem! – O que é isso? Ouvi uma voz imponente acima de mim, fechei os olhos fingindo não estar ali. – Estou falando com você garota! Fiquei ali, imóvel, imaginando que se não respondesse ele iria embora e eu não seria devorada por aquele monstro gigantesco. – Tinha que ser uma escória da Aliança mesmo, não sabe nem falar essa raça inferior. – Ei, olhe como lá como fala comigo! Levantei num pulo e apontei o dedo pra cima, mirando no nariz dele. Ele era tão alto que batia no seu joelho. Se ele resolvesse não gostar do meu atrevimento viraria comida de monstro imediatamente. – Ahhh, agora você fala e é insolente! Ele olhou pra baixo e pude ver que tinha os dentes enormes! Já estava mentalmente me despedindo de papai e mamãe quando ele se virou e começou a sair de...



O Diário da Kinndy – Parte 5

Boa leitura! – Você me odeia mesmo? – Sim. Abaixei a cabeça de tristeza, não entendia porque devíamos odiar pessoas sem ao menos conhecê-las. – Mas… eu nunca te fiz mal algum. – Eu sei pequena. – Se me odeia porque está aqui conversando comigo? Ele olhou pra estátua e ficou em silêncio por alguns segundos. Acho que fiz uma pergunta que ele nunca havia pensado antes.   – Eu não odeio você garotinha, odeio o que você representa. Odeio sua raça em geral e seus companheiros de facção. Odeio o que ela fez com meu povo e tudo o que ela poderá fazer algum dia. Novamente emudeci. A Aliança não era de todo ruim, mas também não era cem porcento boa, assim como a Horda tinha feito muitas coisas ruins e boas. – Eu entendo você e eu não te odeio, assim também como não odeio todos da Horda,...

O Diário da Kinndy – Parte 6

Boa leitura! Caminhei lentamente pela praça até chegar em casa. Mamãe estava ao lado da mesa preparando os ingredientes dos doces que faria no dia seguinte. Assim que me viu parou e limpou as mãos sujas de farinha no avental. – Onde estava a minha princesinha? Sorri pra ela e era um sorriso triste. Pela primeira vez pensei em quantas mães não teriam morrido nos conflitos da Aliança e da Horda. Eu tinha sorte de ter minha mãe perto de mim. – Eu estava andando pela cidade mãe, conversando com cidadãos para tentar decidir qual classe vou seguir. Ela notou meu olhar tristonho e se aproximou com um brownie de chocolate, meu favorito. – Então coma isto aqui e vá encontrar seu pai, já deve estar quase na hora dele iluminar a cidade. Sorri novamente, mas de encanto. Meu pai tinha a melhor profissão do mundo na minha opinião. –...

O Diário de Kinndy – Parte 7

  Boa leitura! – Então você vai estar comigo pra sempre? – Sempre. – E se alguém me atacar? – Eu te defenderei. – Hmmmm… e se você ficar com fome? – Você me dá de comer. – E se eu não tiver comida? – Eu devoro você! Kinndy Acordou assustada, o sonho foi tão real que por alguns segundos achou que estava dentro da barriga do tigre com quem conversava. – Tigres não falam. Disse a si mesma, tentando esquecer a sensação de ser engolida pelo felino. O sonho tinha sido assustador, mas não podia deixar de ir atrás de algum caçador, afinal, ter um bichinho por perto não devia ser tão ruim. – Bom dia meu brigadeirinho! – Bom dia mãezinha linda do meu coração! – O que você quer Kinndy? Kinndy Arregalou os olhos, como sua mãe podia saber que ela queria algo? – Que isso mãe!...

O Diário da Kinndy – Parte 8

Boa leitura! – Ohhhh ohhhh ohhhh!!! Devagar passarinho! Eu estava petrificada! Como que alguém poderia gostar disso?! Voar em cima de uma águia que era metade leão? – Vai devagaaaaaaar! Ela mergulhou e passou por entre as árvores, num mergulho que achei que fosse cair dela. – Eu te dou ouro extra, que tal?! Voa mais baixo, bichinho! Outro mergulho e atravessamos um lago que pensei ter caído nele, tamanha a proximidade da superfície. – Chega, chega! Me deixa por aqui que eu vou andando! Ao terminar minha frase vi que ela foi diminuindo o ritmo e começou a sobrevoar num lugar bonito, verde e calmo. Passamos umas ruínas e o horizonte deste novo lugar era lindo! O pôr do sol alaranjado, deixando o céu com tons suaves… – Nunca achei que veria um lugar tão lindo quanto Dalaran. Avistei uma espécie de templo e a águia entrou nela, pousando...

O Diário da Kinndy – Parte 9

Chegamos ao penúltimo capítulo do Diário da Kinndy. Espero que vocês tenham gostado de acompanhar uma das personagens mais doces que já conheci. Para ter uma melhor noção do que acontecerá no próximo capítulo, sugiro que leiam o livro Marés de Guerra. Boa leitura! Cheguei em Dalaran num piscar de olhos, ainda estava cedo e corri para casa, antes que papai me visse pelas ruas e perguntasse onde estara. – Óh, meu browniezinho! Você voltou! Revirei os olhos e suspirei, mamãe era tão dramática. – Sim mãe, estou de volta e como pode ver voltei inteira! Acho que ela não acreditou muito em mim, limpou as mãos no avental e apertou minhas bochechas, logo depois meus braços. – Ai, isso dói! Os olhos dela encheram d’água e me abraçou forte. Como ela era dramática. – Mãe, chega. Eu tô bem. Desfez o abraço e fez um gesto para sentarmos à...

O Diário da Kinndy – Parte 10

– Mire naquele boneco e tente lançar novamente a Seta de Gelo. Jaina estava atrás de mim e tentava me ensinar um novo feitiço, mas eu não conseguia me concentrar com aquele Elemental bobalhão de Água. – Ele tem mesmo que ficar aqui? A ouvi suspirar e deu um passo pra frente, posicionando-se ao meu lado. – Esse bobalhão aí algum dia poderá salvar sua vida. Com apenas uma ordem sua ele pode congelar o inimigo. Uau! Levantei a cabeça para olha-la melhor e logo em seguida olhei pro bobalh… quero dizer, pro Elemental. – Ele entende o que eu digo? De repente fiquei com medo dele tentar se vingar de mim. Jaina sorriu e se pôs na frente dele. – Seu bobão, miolo mole, cara de peixe… Arregalei os olhos espantada com a atitude dela. – Você está louca? Perdeu o juízo? Ele vai se vingar de você também!...